busca

Alimentação

Quer viver mais tempo? Conheça o hábito alimentar ideal para a longevidade

Por Da Redação  em 29 de abril de 2022

Evitar carnes vermelhas e processadas e fazer períodos de jejum podem ajudar na longeidade, segundo estudo recente

Quer viver mais tempo? Conheça o hábito alimentar ideal para a longevidade
(Foto: Freepik)

 

Uma pesquisa publicada na última quinta (28/4) na revista científica Cell revela que dependendo do padrão alimentar, dá para a pessoa aumentar a longevidade.

O gerontólogo Valter Longo, da Universidade do Sul da Califórnia, nos EUA, está convencido de que há uma fórmula ideal para jejuar e fazer dieta que pode maximizar nossa expectativa de vida. Para descobrir como seria essa fórmula, ele se juntou à colega Rozalyn Anderson, da Universidade de Wisconsin, também nos EUA, para explorar estudos sobre longevidade e nutrição em uma variedade de seres vivos, relacionando tudo aos humanos.

“Exploramos a ligação entre nutrientes, jejum, genes e longevidade em espécies de vida curta e conectamos essas ligações a estudos clínicos e epidemiológicos em primatas e humanos, incluindo pessoas centenárias”, comenta Longo, citado pelo site americano Science Alert.

É claro que não existe uma fórmula mágica para a longevidade. Além disso, restrições alimentares apresentam uma série de prós e contras relacionados à saúde em diferentes espécies, de micróbios a mamíferos, incluindo humanos.

Pessoas com mais de 65 anos, por exemplo, podem precisar adicionar um pouco mais de proteína à dieta, apenas para garantir que seus corpos consigam aumentar a massa corporal e se proteger contra a sarcopenia (perda de músculos).

Por isso é importante que um profissional de saúde escolha a dieta que melhor se adapte às necessidades específicas dos pacientes.

O estudo recém-divulgado revela que uma boa quantidade de carboidratos não refinados, proteínas e gorduras vegetais suficientes para atender a cerca de um terço das necessidades de energia é o que você precisa para viver mais.

“Muitas leguminosas, grãos integrais e vegetais; alguns peixes; sem carne vermelha ou processada e com pouca carne branca; baixo teor de açúcar e grãos refinados; bons níveis de nozes e azeite e um pouco de chocolate amargo”, sugere Valter Longo ao Science Alert.

Além do que vai no prato, quem deseja viver muito tempo precisa planejar o horário das refeições, de acordo com os cientistas. A alimentação deve ocorrer numa janela de 12 horas e um ciclo de cinco dias de jejum deve ser feito a cada três ou quatro meses. Isso ajudará a manter a pressão arterial sob controle e baixar os riscos de resistência à insulina (uma das causas de diabetes).

O site americano alerta que o gerontólogo tem participação acionária em uma empresa que produz produtos que favorecem o jejum, o que significa que a pesquisa pode não ser tão imparcial.

Ainda assim, a recomendação de limitar carnes vermelhas e processadas e aumentar o consumo de proteínas vegetais, associados a certos períodos de jejum, pode ajudar a prolongar a vida, lembra o Science Alert.